Notícias

30/04/2017

AS PESQUISAS CIENTÍFICAS, NOVOS MEDICAMENTOS E DESAFIOS DOS CUSTOS MÉDICOS

O desafio dos custos com medicação e as recentes pesquisas científicas

O ano de 2017 está chegando recheado de novas informações a respeito de novos medicamentos para Diabetes do tipo II, Insuficiência Cardíaca e Dislipidemia ( Colesterol LDL elevado)

DIABETES TIPO II - Refiro-me a Empaglifozina , (Estudo Empa-Reg  Outcome) uma droga conhecida no mundo científico como inibidor da SGLT-2 e usada para o tratamento do Diabetes tipo II.
Os estudos mostram resultados muito significativos em termo de redução de eventos cardiovasculares, o que não tem sido uma tarefa fácil para maioria dos medicamentos hoje disponíveis para tratar diabetes. Mas, e os custos?

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA - Outra medicação, cujos estudos são relevantes, é o que chegará no mercado com o nome de Entresto (Sacubitril +Valsartan), (Estudo Paradigm-HF) usado para o tratamento da Insuficiência Cardíaca. Achados de pesquisa significativos em termos de redução de mortalidade na IC, muito a discutir ainda sobre os efeitos benéficos desta associação, mas e os Custos?

DISLIPIDEMIA - A terceira classe de medicamento são os inibidores da PCSK-9, medicamentos que reduzem o Colesterol LDL em até 60%, atingindo níveis de LDL da ordem de 30 mg/decilitro. Estudo recente chamado FOURIER, mostrou os efeitos benéficos do Evolocumab no tratamento das dislipidemias que não respondem aos medicamentos convencionais, tais como estatinas e Ezetimibe. Mas, e os custos. Nos EUA, o custo anual deste tratamento chega a 14 mil dolares, algo como 45 mil reais aqui no Brasil.

Estes são desafios reais para o médico que se defronta com pacientes  em seus consultórios, pacientes, em geral, com múltiplas comorbidades e que usam muitos medicamentos.
Deve prevalecer o bom senso e sempre que possível devemos aplicar o melhor (custo efetivo) da medicina baseada em evidência.

 

Dr. Ítalo Kumamoto - CRM 987/PB